quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Praça Alfredo Araújo



Conheça nossas ruas, praças e a origem dos seus nomes.
Jornal “O Dourado” – pág 03 de 24 de agosto de 2002.
Praça Alfredo Araújo.

Situado na esquina entre as ruas Demétrio Calfat e Santos Dumont, onde está localizada a Prefeitura Municipal, tendo recebido esta denominação através da Lei Nº 112, de 28 de novembro de 1951, como uma homenagem póstuma do Município ao homem público que foi, dirigindo o destino dos douradenses, como Prefeito Municipal, durante vinte anos, reconhecimento este prestado na gestão do Prefeito Dr. José Buzá.





Alfredo Augusto de Araújo, natural de Rivadávia, Espanha, onde nasceu a 31 de agosto de 1864 e faleceu em Marília, neste Estado, em 12 de agosto de 1951. Era filho de Marcial Avelino de Araújo e de Josefa de Araújo, vindo para o Brasil com apenas 13 anos. Foi casado com Inocência Carvalho de Araújo, e de sujo consórcio teve os seguintes filhos: Alfredo de Carvalho Araújo, caixa-pagador da Estrada de Ferro Douradense por muitos anos, casado com Dona Carlina Ramalho de Araújo, que lecionava no Grupo Escolar de Dourado; Romeu Araújo e Raul Roque de Araújo.



Tendo fixado residência aqui em Dourado por volta de 1901, adquirindo divesos imóveis nos altos da cidade, na confluência das atuais Ruas Dr. Marques Ferreira e Dr. Francisco Borja Cardoso, ficando conhecida aquela localidade de “Vila Araújo”. Sempre foi um benemérito, um filantropo e tendo organizado por volta de 1902, o Centro Literário e Recreativo de Dourado.

Como homem de negócios e de visão comercial instituiu a Companhia Agrícola de Dourado (1902); Casa Araújo, livraria, papelaria e comércio em geral (onde hoje é a Cooperativa); O Jornal “O Popular”, de 1912 à 1925 e o Banco de Custeio Rural de Dourado. Em sua vida pública encontramos grande folha de serviços prestados ao nosso município, com destacada atuação como Prefeito Municipal durante vinte anos (1906 à 1926), período este de grande desenvolvimento urbano, com realizações de obras que marcaram sua passagem pela Prefeitura, tais como: Matadouro Municipal, água encanada, serviços de eletricidade e iluminação pública, Grupo Escolar, telefone etc.



Homenageado em 19/05/1951 com a inclusão de seu retrato na galeria dos homens ilustres, na Câmara Municipal, que tiveram participação no desenvolvimento e progresso de nossa cidade, por motivos de saúde já debilitada não pode comparecer, residia em Marília, externou, então, seus agradecimentos que reproduzimos aqui em um pequeno trecho retirado de sua carta: “Ao receber a comunicação que homenagens serão prestadas ao meu modesto nome, com a colocação do meu retrato em grandes figuras que muito mais do que este modesto mortal, tem direito muito mais adquiridos pelos seus inolvidáveis serviços e feitos em pról da progressista Dourado, sinto-me verdadeiramente sensibilizado pela honra que me concedem”. Seu falecimento transcorreu-se três meses depois, em 12 de agosto de 1951.
Arquivo e Pesquisa: Casa dos Papéis – Rua Cel. Francisco M. Bonilha, 270.

Nota: Atualmente, (06/02/2017),a Praça Alfredo Araújo tornou-se sede da Câmara Municipal.