terça-feira, 20 de setembro de 2011

História da Avenida da Saudade



Década de 60 - Início da Avenida da Saudade e Final da Rua Dr. Marques Ferreira- Tempos de prosperidades- Fábrica do Baby (Cotonifício Santo Ignacio S/A, Hoje ACIND)- novos pavilhões, ao fundo a casa sede/gerência, Capela de Nossa Senhora Aparecida e do lado direito a fachada das oficinas da "Douradense". Foto compartilhada com Déo em outubro/2013.




A Avenida da Saudade, em Dourado, SP, é uma das principais vias de acesso ao centro da cidade.
Podemos destacar, neste ínterim, importantes pontos que estão localizados em nossa avenida, como o Velório Municipal, o Centro Cultural Miltes Bueno Galassi, a Agência dos Correios, o Parque São Pedro, ACIND (Associação Comercial e Industrial de Dourado), e o comércio local. Localizada entre a SP 215 e a rua Dr. Marques Ferreira a Avenida foi de 1900 a 1960 o palco de um importante processo de desenvolvimento econômico à região, pois por ela escoava a produção de café e diversas outras culturas contribuindo com a expansão de diversas fazendas através da Cia das Estradas de Ferro.

A Douradense, como ficou conhecida, iniciou o projeto de construção em Agosto de 1899. Em outubro de 1900 foram abertos os primeiros dez quilômetros até Ferraz Salles, partindo de Ribeirão Bonito, onde, na época, era a estação final da Cia Paulista. Por mais de seis décadas a Douradense impulsionou a vida da cidade, tornando-se o centro de tudo o que acontecia.

Aqui ficava o Complexo Ferroviário da Cia Estrada de Ferro do Dourado, a Douradense.(Mapa Aéreo)


A chegada e a partida dos trens da Companhia de Estrada de Ferro Douradense, na estação, ainda pode ser lembrada por muitos douradenses, onde o apito da “Maria Fumaça” aos domingos à tarde era acompanhado por grande multidão.

Este ano a Douradense completaria 111 anos se o governador Laudo Natel, em 1966, não tivesse assinado uma lei tirando-a do mapa do Estado de São Paulo.

No dia 15 de setembro, inicia-se uma etapa de revitalização ou reestruturação da Avenida da Saudade pela Prefeitura Municipal.

Os locais dotados de valor expressivo à história, como a Avenida da Saudade, possuem uma herança histórica da verdade, são transmitidos de geração a geração e a sua conservação retrata a memória do que fomos e do que somos, a nossa identidade cultural. O respeito ao patrimônio cultural e expressões culturais ainda retratam cidadania e civilidade.



Cidadania (do latim, civitas, "cidade")é o conjunto de direitos e deveres ao qual um indivíduo está sujeito em relação à sociedade em que vive.

Civilidade é o respeito pelas normas de convívio entre os membros duma sociedade.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 


Avenida da Saudade, saída ao trevo (SP 215).
















Homenagem aos Ferroviários.


Praça dos Ferroviários.



Ruas e Bairros de Dourado.




Veja também neste Blog: