terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Praça Aeroporto


Nesta publicação tenho a satisfação de homenagear um jovem que através de seu trabalho de Biologia fez um levantamento das principais praças da cidade de Dourado.
O trabalho de conclusão do seu curso em Ciências Biológicas e da Saúde recebeu o Prêmio de Qualidade Acadêmico do Congresso de Iniciação Científica da Uniara em dezembro de 2011.
Este trabalho é uma analogia entre a Biologia (levantamento florístico das praças) com traços da Cultura e História da cidade de Dourado.
Gabriel Romeiro Donato partiu da abordagem direta às pessoas da comunidade que com um certo conhecimento histórico lhe ajudaram a montar uma linha cronológica e me autorizou a publicar seu conteúdo com o intuito de preservarmos a memória local e também o seu Patrimônio que faz parte desta história. Como ele mesmo descreve em sua abordagem:

As questões relacionadas ao termo espaço verde urbano, ultimamente trouxeram preocupações a respeito do planejamento e valorização das paisagens. O que antes era um contexto voltado apenas à beleza estética, hoje se tornou um requisito importante que se trata não somente da preservação, mas também de uma área agradável aos sentidos humanos. Nesta perspectiva, as praças públicas são vistas como espaços livres potenciais para compor o sistema de áreas verdes urbanas, sendo importantes para os vários grupos da sociedade brasileira. Por conta disto, o objetivo desse trabalho foi contextualizar uma proposta voltada ao levantamento arbóreo e ao estudo fitossociológico da comunidade vegetal em onze praças da cidade de Dourado – SP, além da aplicação de entrevistas nas residências próximas as mesmas. No levantamento rápido, foram encontradas 119 espécies, 103 gêneros e 59 famílias botânicas. Pelo método de parcelas, alguns indivíduos com melhores índices do valor de importância, como por exemplo, Schinus molle L., Ligustrum lucidum Aiton W. T. e Caesalpinia peltophoroides Benth., mostraram – se significantes em relação ao estado atual dos locais do verde explorado. E na análise de fatores históricos os dados fornecidos foram adquiridos através de um questionário atribuído aos moradores que se empolgaram em comentar sobre as malhas urbanas entrelaçadas com a vida passadista nas praças da cidade. Portanto, é viável uma manutenção adequada aos largos públicos urbanos, tanto no planejamento da arte cênica local, como na conservação das feições naturais (não somente nas praças do município de Dourado – SP), pois, além de servirem às regalias humana, satisfazem o bem estar de toda a população”.
Autor: Gabriel Romeiro Donato.


Os ambientes urbanos apresentam características que lhe são peculiares, pois são resultados de uma transformação brusca das feições naturais de um determinado lugar (SILVA et. al, 2008). Trata–se de locais ligados ao prazer humano e destinados à utilização das pessoas para praticar caminhadas, passeios ou descanso. E diante dessa remodelagem da paisagem, observa-se a arborização sendo implantada em parques, alamedas, centros urbanos e principalmente em praças correspondendo, em geral, a formação de jardins e estética local.
As praças, por sua vez, têm valor significativo para o bem estar da população. Sempre estiveram presentes na história das cidades. Guardam em seus seios acontecimentos da vida pública e privada, mundana e profana com fatos que caracterizam esses logradouros como espaços livres e públicos de fundamental importância para a sociabilidade das pessoas que habitaram os centros urbanos mais antigos e as que habitam as cidades atuais, embora em proporções diferenciadas (GOMES, 2005). Conferem também funções importantes relacionadas à valorização da qualidade de vida, valorização econômica das propriedades ao entorno e práticas relacionadas à plantação e manejo de árvores, gerando atividades remuneradas a diversos trabalhadores tanto do setor publico como privado (SILVA; RAMOS; BRITO, 2007).

Gabriel Romeiro Donato é natural da cidade de Dourado, SP.
Formado em Licenciatura Plena e Bacharelado em Ciências Ambientais, pretende realizar Pós Lato Sensu em Impacto Ambiental.


Praça Aeroporto.

 Fotos em 30/03/2013.

É o logradouro mais novo da cidade de Dourado – SP. Por isso que ainda não apresenta nenhum decreto que formalize seu nome na Prefeitura Municipal e, diante disso, é conhecido popularmente como Praça Aeroporto, por estar localizado nas redondezas do Jardim Aeroporto ou Praça do Sagrado Coração por estar associado à Igreja do Sagrado Coração de Jesus e Maria, situando – se dentro do perímetro urbano do município, entre as Ruas Antonio P. Almeida, Manoel Pelaes Sanches, Paulo Pinheiro e Quinze.


Durante muito tempo o local que abriga a praça hoje, serviu como depósito de lixo domiciliar coletado na cidade nos tempos em que Dourado não dispunha de alguma área para a elaboração de um Aterro Sanitário Legalizado. Por estar disposto em uma região carente do município e provavelmente a falta de educação pela cidadania, o mesmo espaço público, alvo dos restos descartados pelos moradores, também serviu de “lazer” para as crianças brincarem e para a criação de animais domésticos que auxiliaram nos meios de subsistência.


A partir daí, houve uma iniciativa de construir a praça para atender não só a necessidade de espaço destinado à prática de esportes e convivência à comunidade, como também, sanar os problemas da utilização imprópria que uma área como aquela, de abandono e degradação, oferecia (FIGURA 14).


Hoje, a planta arquitetônica foi estabelecida e a praça tem suas primeiras árvores plantadas e o alicerce do calçamento forma os desenhos de como ela será futuramente (FIGURA 14.A).








FIGURA 14: Espaço destinado a construção da Praça Aeroporto na cidade de Dourado – SP. A 1ª imagem mostra a “antiga área de lazer” dos residentes e a 2ª imagem relata os indícios da construção da praça. (IMAGEM: Departamento de Obras da Prefeitura Municipal de Dourado – SP. Arquivo: Prefeitura Municipal de Dourado-SP).



FIGURA 14.A: Condição atual da Praça Aeroporto. (IMAGEM: DONATO, G. R, 2011).


As demais praças deste trabalho serão publicadas futuramente neste blog.



Veja também neste blog: