terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Áreas Verdes e Praças em Dourado



A preocupação com a gestão das áreas verdes se tornou mais evidente após o ECO - 92, motivando o planejamento de trabalhos visando à valorização da paisagem, o espaço público de convivência e condições de conforto ambiental que geram locais mais agradáveis aos sentidos humanos. Grey e Deneke, 1978 (apud KURIHARA; IMAÑA-ENCINAS; DE PAULA; p. 127; 2005) definem “arborização urbana como o conjunto de árvores que se desenvolvem em uma área publica e privada em uma cidade visando o bem-estar socio-ambiental, fisiológico e econômico da sociedade local”. E segundo Vidal e Gonçalves (1999) a presença da arborização no ambiente urbano melhora o microclima diminuindo a temperatura, através de sombreamentos, desvios da direção do vento, diminuição da poluição atmosférica, sonora e visual, embelezamento paisagístico, além das contribuições que satisfaçam as necessidades humanas.

De certa forma, as áreas verdes melhoram significativamente o meio urbano. A Ciência Biológica e outras áreas afins têm tentado compreender a problemática desses espaços. Estudos voltados à fisiologia de paisagem consideram importante a relação homem X natureza, ajudando em uma análise mais profunda quanto à ocupação racional dos espaços urbanos, proporcionando melhor qualidade de vida à população. O entendimento dessa dinâmica propicia à comunidade em geral um maior contato com as áreas naturais do espaço urbano, apontando análises relevantes na compreensão do contexto histórico real e da interferência da população na transformação das florestas (PASQUAL; FACHINI, 2010).


Definições:
Espaço Livre => é um termo abrangente contrapondo-se ao espaço construído em áreas urbanas. Tem como função o objetivo de satisfazer conceitos ecológicos, estéticos e de lazer.
Área Verde => local caracterizado pela presença de vegetação arbórea destinada a praças, jardins públicos e parques urbanos, além de canteiros centrais de avenidas e trevos e rotatórias de vias públicas com valoração estética e ecológica.
Parque Urbano = > trata – se de uma área que engloba a visão estética, ecológica e de lazer possuindo uma dimensão maior em relação a praças ou jardins públicos.
Praças => como área verde, têm função principal de lazer. Quando não é arborizada e encontra-se impermeabilizada, pode não ser uma área verde. E, tendo vegetação, é considerada como um jardim.
Arborização Urbana => no que diz respeito aos elementos vegetais, de portes arbóreos e incorporados dentro da cidade.
Outros termos como “Área Aberta” ou “Área Livre”, usualmente utilizado, devem ser evitados por trazer uma impressão de largura e comprimento. Já quando a expressão Espaço Verde/Livre entra em vigor, uma terceira dimensão é revigorada, tratando–se do real e deixando o imaginário em segundo plano.
Em virtude disso, o presente trabalho compreendeu apenas as praças, jardins públicos e parques urbanos, pois, de acordo com Geraldo (1997) o conceito de espaço livre urbano atinge uma dimensão muito grande resultando em um emaranhado de termos que devem ser discutidos separadamente, como ruas, áreas não–edificadas e áreas de passeios em geral e que, certamente, não contribuíram para esse estudo.
Como mencionado anteriormente, as praças ou os ajardinamentos em geral, são destinadas às atividades de recreação, lazer, convivência da população e passeios que são contemplados pelos planos de beleza. Algumas praças modernas já englobam áreas de lazer ativo como quadras poliesportivas, brinquedos para as crianças e até locais destinados a cultos religiosos. Esses espaços são reflexos da diversidade cultural da sociedade atual e passaram a assumir elementos, desenhos, cores, materiais e formas variadas, tendo em vista a arquitetura moderna. O que é interessante lembrar é o aspecto socioeconômico da evolução das praças em que a sociedade atua como vetor principal das mudanças funcionais e estruturais destes espaços livres e de uso público (ROBBA; MACEDO, 2003).


Objetivo Geral
Realizar o levantamento florístico e fitosssociológico das praças da cidade de Dourado-SP e resgatar alguns traços históricos desses logradouros.

Objetivos Específicos
Realizar o levantamento florístico identificando as espécies vegetais que compõem a área verde presente nas praças da cidade de Dourado.
Caracterizar através do estudo fitossociológico a comunidade vegetal, utilizando os dados obtidos para indicar a importância das plantas como subsídios para a elaboração de outros projetos, auxiliando em futuras reconstruções estruturais das praças e contribuindo para melhores remodelagens.
Analisar os fatores históricos das praças através de entrevistas e depoimentos atribuídos à população com o intuito de obter um maior esclarecimento de sua fundação e cultura comparando-os ao levantamento da composição florística atual e relacionando esses dados com as espécies mais antigas e reconhecidos pelos cidadãos.


Caracterizações das áreas de estudo

Dourado, considerada como o Centro Geográfico do estado de São Paulo, está localizada a 22º 07’ latitude Sul e 48º 18’ longitude Oeste, a 706 metros ao nível do mar, apresentando relevos montanhosos e uma vegetação com predomínio do cerrado. De acordo com o Censo (IBGE/2010), estima–se que sua população compreendeu 8.607 habitantes. A temperatura gira em torno de 35ºC no verão, 22ºC no outono, 19ºC no Inverno e 27ºC na primavera, os solos são considerados bons para o plantio, tais como: latossolo vermelho amarelo, latossolo vermelho escuro, latossolo roxo, terra roxa estruturada, podzolizado vermelho e areias quartzozas profundas, abrangendo uma área total de 202 quilômetros quadrados. A hidrografia é rica e a economia é baseada na agricultura, pecuária, avicultura e comércio em geral.1
Suas praças, de maneira geral, apresentaram uma riqueza arbórea que foi caracterizada pela fitofisionomia, cujo levantamento destacou a vegetação nativa e exótica.
O estudo foi realizado em onze praças mais conhecidas e freqüentadas, que se encaixam nos parâmetros de áreas verdes urbanas.


Praça Rotary Centenário


Também chamada como “Praça da Rodoviária”. Está localizada nas coordenadas 22º 06’ 51.85” latitude Sul e 48º 18’ 49.53” longitude Oeste, circundando os arredores da estação Rodoviária de Dourado-SP entre as ruas Ceará e João Bertucci (FIGURA 03).
1 Disponivel em: http://www.dourado.sp.gov.br. Acesso em 15 dez. 2010.



FIGURA 03: Visão panorâmica. Localização da Praça Rotary - Centenário presente na cidade de Dourado-SP (FONTE: Google Earth; 08 set 2011).





Foi instituída ao lugar público localizado no bairro Parque Dourado II, dentro do perímetro urbano do Município de Dourado – SP, defronte ao Centro de Lazer do Trabalhador, próximo a Estação Rodoviário de Dourado, sob a Lei Nº 1.049 (de 04 de outubro de 2004) o nome de Praça Rotary – Centenário em 19 de maio de 2.005 que por sua vez dá acesso as Ruas Ceará e João Bertucci (FIGURA 16) (Prefeitura Municipal de Dourado).
Por estar próxima à Estação Rodoviária, esta pequena praça é freqüentada geralmente por indivíduos que aguardam os meios de transporte, inclusive os jovens estudantes da cidade que freqüentam os cursos noturnos e usufruem deste espaço esperando a hora chegar para enfrentar sua jornada estudantil. Além disto, outras pessoas também utilizam a praça para descanso e diálogos diários ocorrendo uma movimentação todo o tempo, já que o espaço compreende vegetação arbórea de grande e médio porte com bancos dispostos lateralmente e uma visão geral voltada ao Centro de lazer de Dourado.
Não se sabe exatamente em que época a praça foi construída, mas alguns moradores relatam que esta foi elaborada para preencher a estética local da Estação Rodoviária pela Prefeitura Municipal. Somente no ano de 2005, quando o Rotary Club1 comemorava cem anos (fundado em 1905), os participantes e dirigentes dessa associação em Dourado solicitaram, em homenagem, o nome de Rotary – Centenário para a Praça. O pedido foi aceito e o nome é preservado até hoje.


Figura 16: Praça Rotary – Centenário (IMAGEM: DONATO, G. R. 2011).
1 Rotary Club: Clube de profissionais que tentar estabelecer a paz e boa vontade no mundo voluntariamente em favor a sociedade. Disponível em: http://www.rotarybrasil.com.br. Acesso em 26 ago 2011.






Continuação das publicações do Trabalho de Gabriel Romeiro Donato.
ABORDAGEM FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLÓGICA DAS PRAÇAS DA CIDADE DE DOURADO-SP COM TRAÇOS DE SUA HISTORIA E CULTURA.



2 Rotary Club: Clube de profissionais que tentar estabelecer a paz e boa vontade no mundo voluntariamente em favor a sociedade. Disponível em: http://www.rotarybrasil.com.br. Acesso em 26 ago 2011.




Ver também neste Blog: