terça-feira, 28 de agosto de 2012

Dourado em 1940.





Um retrato da cidade de Dourado, centro Geográfico do estado de São Paulo, no ano de 1940.
Retirado do Livro: “Empresa Gráfica da Revista dos Tribunais” (à rua Conde de Sarzedas, 38 – São Paulo, em maio de 1940).
Observações: Foram respeitados a ortografia e valores da época.



Resenha corográfica dos 270 Municípios do Estado de SP, na vigência do
Estado Novo.

DOURADO.
Histórico: “Deu origem ao nome da cidade, a serra dos Dourados. A sua primeira Câmara foi instalada aos 12 de outubro de 1897, sob a presidência do snr. Dr. Everaldo Wallin Pereira de Souza, sendo vereadores os snrs.: Maximiliano de Oliveira Sampaio, Miguel de Abreu Portela, Joaquim Cardoso dos Santos, José Vitorino da Silva e Adolfo Manuel Alves. Desempenhou as funções de primeiro prefeito do Município, o snr. Maximiliano de Oliveira Sampaio. Contribuiram eficazmente para o aumento do patrimônio, doando terras de suas propriedades, os snrs. José Modesto de Abreu e Antonio Alves. O Município, si bem que pequeno, contando porém, com terras exuberantes e férteis, desenvolveu-se rapidamente, sendo uma cidade florescente e dotada de melhoramentos urbanos indispensáveis à vida de uma cidade. Município fundado pela Lei n. 502, de 18-5-1897”.



Topografia: A sua topografria é plana num sentido geral, notando-se apenas a serra dos Dourados e diversos espigões.

Superfície: A superfície do Município é calculada em 309 quilômetros quadrados aproximadamente.

População: 15.000 habitantes, estando radicados na sede 3.900.

Bairros: Santa Clara (antigo distrito do mesmo nome) e Bairro do Bebedouro.

Flora e fauna: A flora e fauna do Município são regulares, contando com diversas matas e vários espécimes de animais e aves.

Altitude: 696 metros acima do nível do mar.

Aspecto geral da cidade: O aspecto geral da cidade impressiona: por suas ruas bem traçadas e cuidadosamente limpas.

Serras: Serra dos Dourados.

Rios: O Município é regado pelos rios Jacaré-Pepira, ribeirões do Bebedouro, Potreiro, Serrote e Vermelho.

Clima: O clima é em geral ameno e saudável.

Agricultura: A agricultura do Município constituí um dos fatores preponderantes de seu progresso. Possui grandes culturas de algodão, café, produzindo em larga escala e de primeira qualidade. Sua produção de cana atinge a 160.000 arrobas e a sua de algodão orça e 200.000 arrobas.

Indústria fabril: O Município possue pequena indústria fabril constituída por fábrica de bebidas e de vassouras.

Vias de comunicação: O Município é servido pela Cia. Estrada de Ferro do Dourado e diversas estradas de rodagem, ligando-o aos municípios vizinhos.

Distância da sede à Capital: Por rodovia: 360 Klms.; por ferrovia; 327 quilômetros.

Distâncias da sede as cidades vizinhas: Para Ribeirão Bonito, 19 klms.; Bocaina, 21 klms; para Brotas, 36 klms.; para Boa Esperança, 24 klms.; para Araraquara, 51 klms.; para Jaú, 38 quilômetros.

Estações de Estradas de Ferro que servem o Município: Estações de Santa Clara e Major Novais.

Prédios: Na sede: 548 prédios.

Principais edifícios: Edifícios do Grupo Escolar, Paço Municipal, Igreja Matriz, Templo Evangélico e Escritórios da Cia. E. F. do Dourado.

Melhoramentos Principais: Abastecimento de água potável, ótima iluminação elétrica pública, fornecida pela Cia. Fôrça e Luz, de Brotas, telefone, telégrafo da Cia. Douradense.

Casas de Caridade: Presentemente está constituída uma comissão para pleitear a fundação de uma Santa Casa.

Religião: A religião predominante é a Católica, possuindo também, um Templo Evangélico.

Principais Fontes de Riqueza: Grande produção de café e algodão, cereais em geral, lenha.

Orçamento de 1939: 160:000$000. Para 1940: 180:000$000.

Ruas Principais: Dr. Marques Ferreira, João Pessoa (hoje Dr. Demétrio Calfat), Sete de Setembro, Floriano Peixoto, Tiradentes e Barão do Rio Branco.

Praças e Jardins: Praças Dr. Otávio Mendes, 24 de Outubro e Jardim da Matriz.

Hotéis. Recreio e Portugal muito confortáveis.

Imprensa: “A União”, hebdomadário.

Bancos: Conta com correspondentes do Banco Comércio e Indústria de S. Paulo.

Comércio: O Município conta com 81 estabelecimentos comerciais.

Sociedades: Clube Social e Recreativo Douradense.

Grupos Escolares e Escolas Isoladas: Grupo Escolar Dr. Carlos Botelho, 171 alunos do sexo masculino e 178 do sexo feminino. Dourado conta com 6 escolas isoladas, com uma frequência de 126 alunos do sexo masculino e 119 do sexo feminino.

Estradas de rodagem: Possue estradas de rodagem municipais, ligando-o aos municípios de Bocaina, Boa Esperança, Jaú, Ribeirão Bonito, Brotas e Araraquara.

Luz e fôrça: Possue ótimo serviço de luz e fôrça.
Abastecimento de água: A cidade possue bom serviço de abastecimento de água, a cargo da Prefeitura Municipal.

Esgôto: Presentemente não tem.

Caixa Econômica: A cidade de Dourado possue Caixa Econômica Estadual, anexa a Coletoria local; saldo de 1939 é de 606:014$900, contando com 332 cadernetas.

Telefone: Possue telefone e está ligado com a Capital.

Telégrafo: Serve-se de telégrafo da E. F. Douradense.

Vias de condução urbana: É feito por automóveis principalmente.

Limpeza pública: A coleta de lixo domiciliar é feita diariamente por veículos de tração animal.

Distritos: Somente o da sede.

Edifícios públicos: Edifícios do Grupo Escolar, Pôsto Policial, Prefeitura Municipal e do Matadouro.

Profissionais Liberais: 4 médicos, 1 advogado, 2 engenheiros, 3 dentistas e 4 farmacêuticos.

Patrimônio Municipal: Orça em 325:388$688.

Serviço Postal: Agência Postal de 3ª Classe. Sua renda em 1939 foi de 16:556$400.

Coletoria Estadual: 2ª Classe, tendo arrecadado em 1939, 437:751$600.

Coletoria Federal: 5ª Classe, com uma arrecadação em 1939 de 93:146$400.

Organização Policial: Delegacia Policial de 5ª Classe.

Organização Judiciária: Conta com um Juiz de Paz e um Cartório de registro civil e tabelião.

Organização Sanitário: Possue um guarda sanitário, subvencionado pela Prefeitura e subordinado ao Centro de Saúde de S. Carlos.

Veículos: A tração animal, 125; a tração mecânica, 62.

Matadouro: Possue um modelar Matadouro Municipal.



Subvenções: A Prefeitura Municipal subvenciona a Santa Casa de S. Carlos, Caixa Escolar.

Melhoramentos Executados pela actual administração:
Conclusão do Paço Municipal, construção de prédio escolar no bairro do Bebedouro, reforma dos serviços e iluminação elétrica pública, reforma da ponte sobre o rio Jacaré-Pepira, construção de uma ponte sobre o ribeirão do Bebedouro, construção do Coreto Municipal, renovação das estradas de rodagem, construção do Campo de Aviação, construção da Praça Dr. Otávio Mendes ponte sobre o córrego do Dourado.

Propriedades Agrícolas existentes no Município: a cidade de Dourado conta com 163 propriedades agrícolas.


Nesta época em Dourado a cidade tinha como Prefeito o Sr. Trajano de Arruda Penteado (1940 a 1945). Presidente do Brasil: Getúlio Vargas, e Ademar Pereira de Barros como interventor federal, somente depois em 14/03/1947 à 31/01/1951 passa a ser governador eleito por sufrágio universal. Após a época do Governo Provisório.



Getúlio Vargas - Presidente.


Ademar de Barros - Governador.


 
Governo Provisório (1930 – 1934) – Vargas apoiado por militares.
Pela imposição do presidente, vários militares passaram a controlar os governos estaduais. Tal medida tinha como propósito anular a ação dos antigos coronéis e sua influência política regional.

Governo Constitucional (1934 – 1937)
Nesse segundo mandato, conhecido como Governo Constitucional (1934 a 1937), observou-se a ascensão de dois grandes movimentos políticos em terras brasileiras. De um lado estava a Ação Integralista Brasileira (AIB), que defendia a consolidação de um governo centralizado capaz de conduzir a nação a um “grande destino”. Esse destino, segundo os integralistas, só era possível com o fim das liberdades democráticas, a perseguição dos movimentos comunistas e a intervenção máxima do Estado na economia. De outro, os comunistas brasileiros se mobilizaram em torno da Aliança Nacional Libertadora (ANL). Entre suas principais ideias, a ANL era favorável à reforma agrária, à luta contra o imperialismo e à revolução por meio da luta de classes.




Agradecimentos: À Direção da EMEF “Senador Carlos José Botelho”, Bibliotecário: Maria Izabel Bueno de Camargo.

Veja Também neste Blog: