quinta-feira, 22 de novembro de 2012

O Vaivem. (Jornal Correio D'Oeste, Ribeirão Bonito – 1963).



O Vaivem.

Periódico do Grêmio Estudantil “19 de Maio” da ENGE Dr. Salles Júnior.
Orientadora: Profa. Maria Apparrecida Valente, Colaboradores: Professores e Alunos.
Ano I – Dourado, Março e Abril de 1963 – Nº 1.

Nesta publicação o Blog Dourado Online tem a grata satisfação de compartilhar com todos que acompanham nossos “posts” (publicações) um retrato da cidade de Dourado na década de 60. Narrações de professores que iluminam o entendimento com seus textos, comerciantes que sempre colaboraram com a divulgação de eventos em Dourado. Em destaque o texto do Professor Caldas em homenagem a Escola Salles Jr.

Ganhamos uma Escola Normal.
Nosso município foi finalmente contemplado com uma Escola Normal.
Criada pela Lei nº 6690 de 4/1/1962, de autoria do Deputado Orlando Zancaner, foi instalada oficialmente no dia 9 de março do corrente ano.

Apesar do curto espaço de tempo que tínhamos para organizar um festejo digno deste estabelecimento, foi realmente comemorada, atraindo para as dependências do nosso Salão Nobre uma enorme multidão, não faltando mesmo a conhecida corporação musical “19 de Maio” que com a sua presença, deu maior brilhantismo as festividades.

Eram precisamente 13 horas quando, com a presença de autoridades locais, a sessão solene foi aberta pela DD. Diretora da Escola Sra. Gunar de Araújo, que convidou o Prof. João Jorge Marmorato, DD. Inspetor Estadual do Ensino Secundário para a presidência da sessão.

Proferiu sua senhoria breves palavras sobre o valor e oportunidade do Curso Normal para os estudantes deste estabelecimento de ensino.

Em seguida deu-se a leitura da Ata de instalação, proferida pelo Sr. Antonio Monteiro Novo, digníssimo Secretário desta Escola.
Após a leitura foi dada a palavra à aluna Telma Rúbio que, congradulando-se com o povo, agradeceu aos Srs. Izidoro Munhoz e Elias Maluf os esforços para a concretização de tão almejado sonho. Representando o corpo docente, fez uso da palavra o Prof. Caldas. Referiu-se primeiramente sobre a repercussão entusiástica que se fez sentir, no seio da mocidade estudantil local, transformando em realidade um velho sonho destes estudantes: sua Escola Normal. Disse ainda das dificuldades que os alunos vinham enfrentando, a fim de prosseguirem seus estudos, locomovendo-se para a cidade vizinha, Ribeirão Bonito. Hoje, graças a essa instalação, estes sacrifícios deixam de existir. Doravante prosseguirão eles a sua vida estudantina no mesmo estabelecimento onde cursaram seus primeiros quatro anos ginasiais. Fez uma referência elogiosa a nossa Escola, nos seguintes termos: “Esta Escola, da qual pertenço e com muita honra, há 7 anos, tem conseguido os objetivos reais da educação pela dedicação e abnegação de seus mestres e diretores. Tendo na direção uma professora como D. Gunar de Araújo, um corpo docente capacitado, e um exemplar corpo administrativo, que tem recebido os melhores elogios de nossas autoridades escolares, por certo a ENGE “Dr. Salles Junior” terá sempre um lugar de destaque dentre as demais que formam a rede educacional de nosso Estado.

Finalmente agradeceu a presença das autoridades e convidados que prestigiaram esta festividade”. Terminada a oração foi dada a palavra ao Sr. Izidoro Munhoz, um dos batalhadores para a criação e instalação da Escola Normal. Fez referências especiais à Sra. Leonor Mendes de Barros, que deu toda atenção e apoio para que se efetivasse este grande empreendimento para Dourado. Em seguida falou o Prof. Daury Speranza enaltecendo a festa do dia. O Prof. Alfredo Gonçalves, ex-diretor do Grupo Escolar local, congratulou-se com nossa população.

Finalmente o Prof. João Jorge Marmorato encerrou a sessão convidando os presentes para assinarem a Ata da Instalação da Escola Normal.
Assim deu-se o início da Escola Normal de Dourado, um presente da primeira dama paulista Exma. Sra. D. Leonor Mendes de Barros aos douradenses. A ela os agradecimentos da “Cidade Coração”.

Professor Caldas.



Pan-Americanismo.

Nada há no mundo mais belo sentimento de amizade. Este sentimento traz consigo várias consequências como o entendimento, o perdão, a alegria e a paz.

Onde há amizade, todas as desgraças são atenuadas. Se o amor entre as pessoas do nosso convívio diário é importante, quanto mais o que se tem às pessoas diferentes!

Se houvesse realmente esse sentimento entre todas as nações, não existiriam as lutas, as guerras, essas bárbaras mortandades, que tanta desgraça trazem para os povos. O dia 14 de Abril, é para nós os americanos uma data importante porque encerra um sentimento de amizade, de camaradagem entre as Américas.

Esta data foi comemorada pela primeira vez em 14 de Abril de 1931, e faz nos recordar os vínculos políticos, econômicos e espirituais que ligam os vinte e um países do continente americano.

Vemos entre essas nações o intercâmbio econômico, cultural, a navegação marítima, a navegação aérea, tudo feito de tal moda, que venha auxiliar uma a outra, concorrendo, assim, para o progresso e a tranquilidade de todos.

Brasileiros, trabalhemos unidos, pois a união faz a força. Trabalhemos pelo mesmo ideal de paz e concórdia. Esforcemo-nos para que os laços que unem os povos das Américas se solidifiquem cada vez mais. Esforcemo-nos para que a este elo que se chama Pan Americanismo, seja ligado outros países, até que todos formem uma só corrente e possam descansar tranqüilos por terem afastado da face da terra o terrível monstro que se chama guerra destruidora da civilização do progresso, da paz e da alegria!

Silvia Pereira dos Santos.
 

Pág. 2



Interessante ainda nesta pesquisa ver as principais lojas que existiam à época e atendiam as necessidades do povo douradense.
Podemos citar a Relojoaria e Ourivesaria Jacobucci, Casa Fundada em 1918, Selaria e Livraria Brasil do Sr. Luiz Valente, Auto Posto São João do Sr. Rubens Baldin, Casa Pasquale de Irmãos Pasquale, Casa Izidoro – Armazém de secos e molhados, bebidas nacionais e estrangeiras, etc do Sr. Izidoro Munhoz.
Destaque para os Filmes da Semana.
O proprietário do Cinema “Cine São Paulo”, o Sr. Orlando Tavano costumava fazer brincadeiras com os amigos anunciando os filmes em cartaz, (Todo dia tinha filmes):
2ª feira – Ventos do Sul com o geólogo Antonio Rafael Tavano.
3ª feira – De Tanto Amar Fiquei Careca com Antonio Sérgio.
4ª feira – Didas sem Destino com a intrépida 4ª série.
5ª feira – Um Raio de Luz apresentando Matilde.
6ª feira – Na Corda Bamba com a estudiosa 2ª série.
Sábado – Os Três Mosqueteiros com Marcos Bartelotti, Ernesto Parra e Antonio Luiz Demetti.
Domingo – Vesperal – Guerra e Paz com a 1ª série.
à noite – Em cada Coração um Saudade com a 3ª série.

Pág. 3


Pág. 4


Colaborador em destaque nesta publicação:
Osvaldo Vergílio.
Trabalhos de Reciclagem.
Contato Telefone: (16) 8207-9814




Vejam também neste Blog: