sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Companhia Douradense - Estradas de Ferro do Dourado


Nesta edição o internauta tem passe livre para fazer uma viagem ao passado, conhecer as Locomotivas e Estações que pertenciam à Cia Douradense:




"O desenvolvimento da malha ferroviária Estado de São Paulo, é obra de seus próprios habitantes, e a pequena ferrovia que tomou o nome E.F. Dourado, do vale do principal rio encontrado em seu traçado, nasceu na expansão natural das lavouras de café e outros produtos, por zonas mais afastadas dos trilhos do grande tronco de Cia. Paulista".

A Douradense começou sua construção logo após sua aprovação dos estudos definitivos da linha, o que ocorreu em 07/08/1899. Em outubro de 1900 foram abertos os primeiros 10 Km. (até Ferras Sales) partindo de Ribeirão Bonito (Estação Final da CPEF, do ramal que se iniciava em São Carlos, em bitola métrica), em bitola de 0,60m e, em dezembro seguinte outros 10 Km até Dourado. O prolongamento desta linha prosseguiu e em maio de 1903, inaugurou-se o traçado até Boa Esperança. Em 20/08/1906 inaugurou-se o trecho de Boa Esperança a ponte Alta, com 17 Km.
Em 1910, a extensão das linhas já alcançava 206 Km, em bitola de 0,60m.
Com o alargamento da bitola para 1,00m, a linha primitiva, entre Ribeirão Bonito e Dourado foi suprimida por causa do seu acidente traçado e a ligação para Dourado, onde haviam as grandes oficinas da estrada, ficou sendo via Trabijú, local que também teve sua estação modificada de lugar quando do alargamento de bitola. Da antiga estação há somente uma pequena caixa de água subterrânea.

A extensão total na bitola métrica (menos desvios) foi de 351 Km (vide mapa).

Um fato interessante que devemos registrar, segundo o relato de um maquinista da CD, é sobre uma pequena ferrovia entre Nova Europa e Curupá (Município de Tabatinga). Pertencia à Fazenda Itaquerê e transportava cana para a Usina Santa Fé e sacos de açúcar para Curupá (estação EFA no ramal de Silvânia a Tabatinga). O cruzamento desta ferrovia com a CD era espetacular: um cruzamento de 3 níveis! No nível mais baixo passava a ferrovia Itaquerê; no nível do meio a CD e no mais alto uma estrada de rodagem entre Araraquara e Ibitinga. Ainda há uma estação da E.F. Itaquerê, dentro da Usina.
Em 04 de fevereiro de 1949 a CD foi incorporada pela Cia. Paulista, sobrevivendo até 1968, quando foi erradicada durante o Governo Laudo Natel.
Ainda hoje pode se encontrar algumas estações ao longo do antigo leito que foi asfaltado pelo governador Franco Montoro.
Quando a CPEF a incorporou, sua linhas foram lastreadas, e na década de 60, o trecho São Carlos - Ribeirão Bonito - Ibitinga, os trens eram tracionados por locomotivas diesel elétricas RSD-8 da Alco. Nos outros trechos permaneceu a tração a vapor.
Locomotivas: Pretas, com cintos e bordas da chaminé Dourada.
Número no tender, na cor dourada e placa na cabine também com letras douradas.
Carros de Passageiros: Caixa marrom, teto alumínio, letras, números e distintivo amarelo ou dourado.
Vagões de Carga: Caixa vermelho - óxido, teto alumínio, letras e números brancos.
O seu material rodante na bitola métrica se resumia em: 18 locomotivas:


19 carros de passageiros
230 vagões de carga.

As locomotivas American andavam só nos trechos Tabatinga - Itápolis e Dourado - Trabijú, a velocidade de 35 Km/h!
Dados da Pesquisa: Dos arquivos da Biblioteca Pública Municipal de Dourado. Fotos cedidas pelo Sr. Hamilton Félix Vannucci.
Funcionários Estação Bariri.


Estação de Bariri:


Estação de Itápolis:


Itápolis


Estação Itápolis em 1919


Locomotiva em Trabijú:


Estação de Trabijú.


Funcionários em Trabijú.


Trabijú (funcionários).


Estação de Itapuí:


Estação Pacheco:


Estação Pedro Alexandrino:


Estação Gavião Peixoto:



Locomotivas de Bocaina:


Estação de Ribeirão Bonito:


2 trens – Ribeirão Bonito.


Estação de Ribeirão Bonito, hoje Prefeitura Municipal.


Estação Sampaio Vidal – Próximo a Ribeirão Bonito:

Estação São Lourenço do Turvo:



Estação Tabatinga:



Tabatinga:


Tabatinga:



Estação Ibitinga:


Ibitinga:

Ibitinga:
Ibitinga:


Estação Jaú – Dourado:


Estação Jáu – Dourado (embarque):



Estação Nova Europa (funcionários):


Estação Nova Europa:



Estação Nova Paulicéia:



Estação Novo Horizonte:

Estação Pedra Branca:


Fonte de Pesquisa, dados, informações, fotos e documentos no site http://br.geocities.com/cefdourado/ , colaborador: Alberto Henrique Del Bianco (Curador do Museu virtual da Cia. Douradense).



Vejam também neste Blog: